Luana Olíveira

A sociedade muda e a maneira de investir também

Publicado em 13 de abril de 2021
Translate: English | Français

Escrevi ontem um post sobre as novas gerações e que eu as considero por diversos motivos práticos, naturalmente evoluídas.

E gerações mais novas não investem mais como seus pais ou avós investiram no passado, crendo que trabalhar a vida toda pra garantir uma aposentadoria e ter uma casa própria era o suficiente.

Os jovens hoje mais tecnológicos e naturalmente digitais levam uma vida em que podem se dar ao luxo de trabalhar com o que gostam, muitos hoje em dia ganham criando conteúdo pra internet e podem fazer dinheiro estando em qualquer parte do mundo. Ou seja, eles podem até ter uma casa própria em uma cidade fixa mas podem se permitir viver em outros países, viver outras culturas e influenciar mais jovens a fazerem o mesmo.

Nada de errado nisso, a sociedade mudou e continuará mudando e precisamos encarar os fatos: investimentos do passado não atraem mais as novas gerações. Quem está mudando a forma de investir? As fintechs, claro. Novos produtos de investimentos, robôs investidores ou então startups que estão criando mais facilidades ou novos laboratórios desenvolvendo vacinas mais tecnológicas… então podemos verificar até aqui que se quisermos investir em fintechs, startups, comprar ações de empresas de biotecnologia e etc, é um ótimo negócio e naturalmente inteligente.

Jovens se dão bem porque com a tecnologia conseguem acesso rápido a um portfólio muito interessante de investimentos feitos especialmente pra eles. Jovens bem sucedidos que trabalham menos que seus pais e avós, ganham muito mais, não casaram cedo e podem aproveitar de maneira muito interessante suas vidas como bem quiserem.

Não sou mais tão jovem mas tento manter o meu espírito visionário, obtendo conselhos e informações de outros visionários, de pessoas que não estagnaram no tempo e evoluem com as novas gerações.

Há quem prefira viver de maneira mais conservadora, tradicional, fazendo os mesmos investimentos de sempre e tudo bem, nada de errado nisso. Mas apenas devemos ter ciência de que tudo muda o tempo todo, e se não nos atualizarmos de verdade, não só naquilo que nos interessa, fatalmente ficaremos para trás.