Publicado em: Tecnologia

Sou a mais nova assinante do HEY

Hey subscribed

Faltando 6 dias pro fim do meu período de testes , fiz hoje a assinatura do HEY.

Motivos: o HEY facilita muito o meu fluxo de trabalho e torna o meu uso do email prazeroso de novo. Além disso, decidi apoiar a empresa por ter tido a sensibilidade de criar um serviço tão útil e preocupado em contribuir com a privacidade e o combate ao spam. Um último motivo mas não menos importante: o nome de usuário associado à minha conta será pra sempre meu, ainda que futuramente eu decida não pagar mais pelo serviço.

Publicado em: Generalidades

O efeito negativo da “deliveryzação”

Apenas um desabafo.

Sei da importância do delivery principalmente pros restaurantes nesse período tão delicado da crise. O delivery em si é um serviço indispensável que passou a ser mais do que nunca valorizado pelos negócios que viram suas vendas despencarem com a pandemia.

Tenho preferência por um restaurante no qual eu almoçava sempre que podia: culinária com uma pegada francesa, ingredientes de boa qualidade, temperos deliciosos, serviço correto e preços honestos. A experiência era completa: couvert, salada ou sopa de entrada, prato principal e sobremesa. Tudo muito bem feito e saboroso.

Com a pandemia, o delivery e a retirada passaram a ser as únicas opções pra continuar consumindo desse local.

O problema é que com a enorme demanda provocada pelo delivery, infelizmente o cardápio mudou junto. A qualidade decaiu embora o cuidado com as embalagens ainda permaneça. Mas deu pra sentir nos últimos 3 pedidos que fiz que já não é mais a mesma coisa. A falta de cuidado no preparo dos pratos, os ingredientes, o tempero, o sabor… tudo deixando a desejar.

Torço para que futuramente a experiência nesse restaurante volte ao normal.

Na comida de delivery sempre fica um triste retrogosto de fast food.

Publicado em: Reflexões

A importância dos blogs pessoais em 2020

Tenho me questionado ultimamente sobre quanto tempo mais veremos a internet ser resumida a redes sociais e Youtube.

Por mais bizarro que possa parecer, pra muita gente quando se fala em internet no Brasil as primeiras coisas que vêm a cabeça delas é, nessa ordem: Whatsapp, Instagram, Facebook e Youtube. Agora tem a porcaria do Tiktok também, mas vou desconsiderá-lo por presumir que se trata apenas de mais um hype bobo e inútil com vida curta. Para a nossa alegria.

Por muito tempo demos asas a cobras: criamos uma raça demoníaca conhecida como “digital influencer”, apoiamos as chatices das celebridades nos ambientes virtuais (cantores, jogadores de futebol e artistas em geral), alimentamos shippes impossíveis e endeusamos “youtubers”.

Mas felizmente de acordo com o histórico da internet desde a sua popularização, por mais que serviços dessa natureza tenham uma vida longa, uma hora chegam à saturação. E me parece que o retorno ao simples e a busca pela desintoxicação digital se torna comum a todos que não aguentam mais no que a internet foi transformada.

Os blogs pessoais antes da obsessão pela monetização eram fontes de bem estar, uma vez que acompanhávamos o dia a dia e as reflexões de pessoas comuns e usávamos suas dicas e conhecimentos como inspiração para algum quesito importante de nossas vidas. Era saudável e prazeroso ver tanta gente bacana e inteligente escrevendo sobre coisas simples e interessantes.

Mais do que nunca se faz necessário que voltemos a escrever em nossos blogs pessoais, sem grandes pretensões. Vamos resgatar o lado bom da internet e fazer valer o nosso precioso tempo e a nossa vida. E de quebra cortar as asas das cobras também.

Publicado em: Privacidade, Tecnologia

HEY – o serviço que reinventou o email

Hey luana

De muitos serviços e produtos que evoluíram bem nos últimos 10 anos, na minha opinião o email foi infelizmente um dos mais importantes deixado de lado.

Muito do mesmo foi feito em relação ao modo como lidamos com o email. Em termos de privacidade melhoramos bastante mas em relação a usabilidade e filtros anti-spam muito pouco foi feito.

Foi então que a Basecamp, reconhecida ferramenta focada em soluções online de comunicação para times e empresas, lançou recentemente o HEY, um serviço criado pra corrigir os problemas que durante anos foram negligenciados por diversos aplicativos e serviços de email.

Estou há quatro dias testando o HEY (são 14 dias grátis no total) e até o momento só vi vantagens. Poder concentrar em uma única ferramenta os vários emails que gerencio, usufruindo de todos os novos recursos facilitadores é realmente uma mão na roda.

Abaixo o vídeo oficial de apresentação de todos os recursos do HEY:

O ponto negativo fica por conta do preço da assinatura: US$ 99 / ano – salgado demais em tempos de crise e dólar nas alturas.

Realmente não sei se pra mim valerá a pena pagar toda essa quantia pra me manter confortável ao lidar com emails. Por mais bacana que seja usar o HEY por seus recursos, visual clean e funcional, aproveitarei os meus dias restantes do teste gratuito pra chegar a uma conclusão.

Por enquanto, deixo apenas o meu agradecimento aos desenvolvedores corajosos que tornaram o uso do email satisfatório de novo.