Luana Olíveira

Brasil: não adianta ir contra a tendência mundial

Publicado em

Translator: English | Français | Português


Com o presidente eleito dos EUA Joe Biden impondo duras críticas e futuras sanções ao Brasil caso o país não se coloque dentro do compromisso de proteção mais ostensiva ao meio ambiente, muitos brasileiros que pouco refletiram sobre o assunto já saem falando: “não podemos perder a nossa soberania nacional! Quem os EUA pensam que são pra tomar conta da Amazônia por nós?” e imediatamente proliferam ignorâncias como de se esperar de quem está completamente por fora da realidade mundial.

A questão ambiental não é mais moda, deixou de ser faz tempo. Não importa se país X ou país Y não protegeu suas florestas e não se preocupou antes com tais questões. O fato é que a natureza está sim mostrando sua ira com tanto descaso que o mundo demonstrou por anos a fio. Com muita sorte os países de primeiro mundo estão enxergando a importância de diminuir a poluição e se engajar em proteger o meio ambiente.

As sanções que os EUA e a Europa vão impor ao Brasil caso não cumpra essa tendência são legítimas e, na minha opinião, necessárias. Alguém tem que começar a levar tudo isso a sério. Eu, ainda como capitalista que sou, consigo ver a importância dessas medidas.

E não adianta fazer birra, agir com imaturidade e fazer chantagens baratas. O Brasil precisa pensar mais com a razão e com os olhos na economia inteligente. Pois se nossos governantes continuarem com as atitudes mencionadas no começo desse parágrafo, estaremos isolados como países que pararam no tempo contra o “imperialismo americano” e hoje são miseráveis.

Inteligência vai muito além do poder. Isso é certo.


Este é o meu post de número 47 do desafio #100DaysToOffload – Just. Write.