🎃 Luana Olíveira 🧙🏻

Cachorro sim, latido não.

Vou compartilhar aqui uma situação não muito agradável que eu tenho vivido com certa gravidade nos últimos meses.

Me mudei pra São Paulo em 2009 e escolhi uma rua relativamente tranquila, próxima a natureza e longe dos tumultos dos centros. Até 2018 vivi relativamente sossegada, com poucos incômodos sonoros e era possível passar tardes agradáveis após um dia de trabalho, no qual apenas os cantos dos pássaros da reserva ambiental eram ouvidos.

No entanto, com a mudança de novos inquilinos para casas alugadas próximas a minha, começou um verdadeiro pesadelo iniciando por tirar o sossego das minhas tardes: vizinhos com nada menos que 7 (SETE) cachorros construiu um verdadeiro canil que começa a latir das 16h30 às 23h diariamente, que é o horário em que os donos estão fora de casa.

Até então, tive um enorme esforço pra me adaptar a esses ruídos diários, pois sendo no período da tarde eu poderia arrumar uma atividade fora de casa pra passar o máximo do tempo sem ouvi-los. Com a pandemia, não rolou mais de sair. Foi então que o maior terror surgiu:

Vizinhos que moram ao lado desses do canil resolveram, não satisfeitos com os barulhos diários de latidos, adquirir DOIS pitbulls. De 5 meses pra cá tenho acordado diariamente entre as 5h e 8h da manhã com esses cachorros latindo, inclusive aos finais de semana e feriados. Ou seja, o que antes já era incômodo a tarde inteira, agora outros vizinhos contribuíram pra aumentar a abrangência da falta de sossego na rua. Eles saem pra trabalhar cedo e não se preocupam se os latidos vão incomodar os outros, pouco importa.

Tive que pesquisar e adquirir uma janela acústica sob medida pro meu quarto, que será instalada no próximo sábado, dia 12. Depois compartilho aqui se ajudou a amenizar o problema Aqui está a minha janela acústica instalada. Só pra constar: já conversei com esses dois vizinhos pra alertá-los sobre o problema e ambos tentaram se justificar com frases como: “cachorro é pra latir mesmo”, “não tenho dinheiro pra adestrar cachorro”, “se quer silêncio vá morar no Alphaville”, entre outras pérolas.

Somente quem convive diariamente com latidos sabe o quão desgastantes e incapacitantes eles são. Meus pais sempre me ensinaram a respeitar os vizinhos e não fazer barulho mas infelizmente é cada vez menos recíproco. Já tive cachorros e precisei educá-los, por que os outros não podem fazer o mesmo? Querem proibir fogos de artifício porque “machuca a audição” dos animais mas não podem criar campanhas educativas para que os donos desses animais contribuam pro sossego alheio?

Não sei se há esperança de alguma lei proteger efetivamente o sossego alheio, mas aqui vai a minha contribuição principalmente pra quem mora em São Paulo: um abaixo-assinado criado por uma pessoa que como milhares de nós sofre com a falta de sossego por causa de latidos. Se puder, assine e compartilhe, mesmo que você não sofra com esse problema. Ter empatia pelas causas alheias ajuda a construir uma sociedade mais respeitosa e agradável de viver.

Link do abaixo-assinado: http://chng.it/Pd62p6LXP8


Este é o meu post de número 10 do desafio #100DaysToOffload - Just. Write.

#100DaysToOffload #latidos #lei do sossego #janela acústica