Publicado em: Generalidades

O efeito negativo da “deliveryzação”

Apenas um desabafo.

Sei da importância do delivery principalmente pros restaurantes nesse período tão delicado da crise. O delivery em si é um serviço indispensável que passou a ser mais do que nunca valorizado pelos negócios que viram suas vendas despencarem com a pandemia.

Tenho preferência por um restaurante no qual eu almoçava sempre que podia: culinária com uma pegada francesa, ingredientes de boa qualidade, temperos deliciosos, serviço correto e preços honestos. A experiência era completa: couvert, salada ou sopa de entrada, prato principal e sobremesa. Tudo muito bem feito e saboroso.

Com a pandemia, o delivery e a retirada passaram a ser as únicas opções pra continuar consumindo desse local.

O problema é que com a enorme demanda provocada pelo delivery, infelizmente o cardápio mudou junto. A qualidade decaiu embora o cuidado com as embalagens ainda permaneça. Mas deu pra sentir nos últimos 3 pedidos que fiz que já não é mais a mesma coisa. A falta de cuidado no preparo dos pratos, os ingredientes, o tempero, o sabor… tudo deixando a desejar.

Torço para que futuramente a experiência nesse restaurante volte ao normal.

Na comida de delivery sempre fica um triste retrogosto de fast food.

Publicado em: Generalidades, Tecnologia

De volta ao WordPress

Hoje finalizei a migração do meu blog para a plataforma WordPress em um novo servidor.

Por um tempo usei um SSG (Static Site Generator) e eu realmente achava muito interessante ter um blog 100% estático rodando no Github + Netlify. Mas como nem tudo são flores… o preço de um site estupidamente rápido e que funcionava inclusive offline (caso você tivesse o cache habilitado no seu navegador) era que a sequência de passos necessários pra fazer uma postagem acabou me desanimando com o tempo.

Era mais ou menos assim: eu escrevia em markdown, gerava o arquivo no Git no meu Mac, usava o Github Desktop pra sincronizar o documento, fazia o push e finalmente o Netlify gerava o conteúdo novo.

Também não era fácil postar pelo smartphone, já que todos os passos acima eram necessários.

Como a intenção é manter o “Keep it simple” na minha vida e isso inclui o meu blog, nada como a boa e velha plataforma já conhecida de todos. De nada adianta a rapidez e toda a nerdice envolvida se no final das contas o que importa é o conteúdo.

Publicado em: Generalidades

🌱 Lublend® complete food beta4

Recebi antes do esperado os ingredientes pra completar o Lublend então o Beta 4 ficou pronto!

Vamos aos ingredientes:

  • Proteínas concentradas de alta qualidade:
    • Girassol
    • Ervilha amarela
    • Arroz integral germinado
  • MCT Powder
  • Farinha de aveia sem glúten
  • Farinha de banana verde
  • Farinha de linhaça dourada
  • Farinha de semente de chia
  • Farinha de maca peruana vermelha
  • Farinha de quinoa
  • Psyllium Husk
  • Goji berry em pó
  • Clorela em pó
  • Spirulina em pó
  • Mix de farinhas de legumes e frutas:
    • Brócolis, espinafre, cenoura, couve, batata doce, beterraba, inhame, amora, maçã e acerola
  • Sal marinho integral
  • Mix de vitaminas, minerais e probióticos

O cacau em pó alcalino foi retirado nessa versão pra checar a neutralidade do sabor.

Com aperfeiçoamentos, a mistura final em pó ficou super fina e homogênea:

Lublend pronto pra ser batido com leite de plantas:

Com a mistura bem fina consegui atingir o grau ideal de solubilidade pra usar o Lublend na shakeira:

Como gosto de acrescentar uma fruta pra dar sabor, adicionei uma banana orgânica e bati no blender:

O resultado final foi uma bebida cremosa, saborosa e com o dulçor corrigido pelo sal marinho integral:

Com esse resultado, o Lublend se aproxima de uma versão oficial.

Vou beber o Beta 4 no decorrer da semana substituindo uma refeição pra ter certeza de que os meus níveis de energia, disposição e saciedade estão dentro das expectativas.

Publicado em: Generalidades

Resultado do kimchi

Dias atrás preparei um kimchi que passou uma semana fermentando. Se estivéssemos no verão levaria de três a quatro dias apenas.

Coloquei em um pote menor que foi levado à geladeira e está pronto pra ser consumido com durabilidade de até seis meses. O sabor ficou do meu agrado: levemente ácido e apimentado.

Em breve vou testar uma nova forma de fermentação: a vácuo. Estou curiosa e depois compartilho aqui.