Luana

Estamos minimizando uma pandemia?

Publicado em 2 de abril de 2021
Translate: English | Français

A humanidade já aprendeu muito com as maiores pandemias da história como a peste bubônica, a varíola, a cólera, a gripe espanhola, a gripe suína e não será diferente com o coronavírus.

Infelizmente muitas vidas são perdidas pela gravidade da doença em si, pela falta de medicamentos específicos, pela incompetência de alguns governos em lidar com seriedade e respeito, pela imprudência da própria população, fake news, falta de planejamento, etc. Pelo menos tivemos de positivo a rapidez do surgimento das vacinas, demonstrando a importância do investimento pesado em ciência e pesquisa. Da gripe suína pra cá tivemos um intervalo relativamente curto entre as pandemias. É preocupante e necessário que o mundo esteja preparado pra lidar com mais situações como essas em um futuro próximo.

Outro rastro devastador que as pandemias deixam pelo mundo são as crises econômicas. Negócios podem ser reconstruídos mas vidas perdidas não. Então nos resta refletir sobre as nossas prioridades. Para alguns as mortes são apenas estatísticas distantes e para outros são pais, mães e filhos perdidos.

Governos são incompetentes por natureza mas no Brasil essa característica consegue piorar a cada governo eleito. A gente sai do maior esquema de corrupção da história pra um governo que minimiza pandemia, preserva a corrupção, tenta assolar a democracia, etc. É realmente muita incompetência junta!

Agora o que nos resta é também não minimizar a pandemia nem as consequências econômicas negativas que ela está trazendo. Se países de primeiro mundo já estão sofrendo imagina o Brasil depois que tudo isso passar? Fora os desmantelos políticos e o circo de sempre. No caso nós somos os palhaços.

Eu escolho não minimizar, eu tento me preservar de várias formas e tenho plena noção de que uma crise econômica sem precedentes já está formada. Agora cabe a cada um continuar no circo ou sair um pouco da tenda e observar a realidade ao redor. Só não vê quem não quer.