Luana

Hardware flexível e FOSS

Publicado em 2 de outubro de 2021
Translate: English | Français

Estou me preparando pra iniciar em 2022 um projeto pessoal no qual usarei um laptop flexível (upgradable) em que poderei eu mesma trocar peças e fazer upgrades quando necessário, além do uso integral de FOSS (Free Open Source Software). Já estou com o laptop em mãos, um equipamento de 2011 que comprei usado, já fiz os upgrades necessários por agora e já estou me readaptando ao GNU/Linux como sistema operacional principal. Em um futuro post escreverei mais a respeito de tudo isso.

Por que resolvi iniciar esse projeto?

Tomei essa decisão após refletir muito no quanto estou insatisfeita com a quantidade de lixo eletrônico que o mundo está gerando graças às tecnologias de gadgets cada vez mais ultrafinos e de reparos quase impossíveis. Isso significa que quando a gente compra a última geração do mais belo MacBook lançado pela Apple, super fino, compacto, poderoso, etc etc… provavelmente no ano seguinte já teremos outro MacBook ainda mais fino, muito mais poderoso e com recursos ainda mais incríveis de preservação da bateria etc. Conhecemos essa história, né? Mesma coisa vale pros iPhones, iPads e outros.

E graças à Apple também, todas as outras fabricantes seguem o mesmo caminho pra criar gadgets limitados – os famosos bonitinhos mas ordinários. Quando quebram ou se você precisa de mais memória no seu laptop, sinto muito mas terá que passar o atual pra frente e comprar um novo. É assim que está funcionando essa indústria de consumo absolutamente non sense.

Se hoje em dia os atuais MacBooks da Apple pudessem sofrer upgrades pelos próprios usuários, durariam no mínimo uns oito anos sem nenhum engasgo. Só que além das fabricantes limitarem seus hardwares, limitam também os softwares. Então embora algum nerd consiga eventualmente fazer um upgrade de memória ou SSD, os softwares ainda terão recursos limitados a novos equipamentos somente.

Vou parar de usar iPhone e Apple Watch?

Com o tempo provavelmente sim. A minha vontade mesmo seria de me desconectar completamente da tecnologia móvel mas infelizmente ainda preciso de alguns recursos que futuramente substituirei por algum smartphone que me possibilite instalar sistemas e aplicativos open sources.

É nessas horas que percebemos o quanto estamos dependentes da conectividade, de smartphones e laptops com seus aplicativos caros sincronizados na nuvem, relógios inteligentes pra acompanhar a saúde, etc. Mas tudo isso a um preço nada razoável: custa muito dinheiro, a nossa privacidade e a degradação do meio ambiente através do lixo eletrônico que geramos ano após ano buscando tecnologias cada vez mais “inovadoras”.

Mas faz sentido uma pessoa pagar R$ 15 mil em um iPhone de última geração “ultra pro premium top max” só pra tirar fotos pra postar no instagram (que automaticamente diminui o tamanho e a qualidade das fotos)? Ou pra passar o dia vendo vídeos no youtube ou se comunicando no whatsapp? Ou lendo artigos que funcionaria perfeitamente em um smartphone de entrada ou intermediário? Se pararmos pra pensar, além de não fazer o menor sentido só serve pra massagear egos e gerar falsa sensação de status.

Dito isso, em breve compartilharei como anda o meu setup pra essa nova empreitada, inclusive como adaptarei o meu sistema pra jogos e estudos pra faculdade.

O que farei com os gadgets que já tenho?

Farei uma lojinha aqui no blog – é um desejo antigo que eu tenho e que preciso colocar logo em prática. Todos os meus equipamentos estão em ótimo estado de conservação. O que eu tenho da Apple hoje:

  • 1 MacBook branco de 2010
  • 1 MacBook Pro de 2014
  • 1 MacBook Pro de 2018
  • 1 iPhone SE 1a. geração
  • 1 iPhone 7 128 GB
  • 1 iPhone XR 64 GB
  • 1 Apple Watch Series 6

Se alguém já tiver interesse em adquirir algum desses itens e estiver em São Paulo capital pra retirar, envia um e-mail pra [email protected] que eu passo mais detalhes e preços. Não envio para outros Estados. Ah, eu aceito criptos no pagamento! :).


Este é o meu post de número 2 do #blogtober21