Por que eu não assino mais Netflix?

Simples: a “serificação” das histórias me incomoda bastante. E o mesmo vale pros conteúdos originais da Amazon, da Apple e aposto que de muitos outros serviços de streaming.

Criei o termo serificação pra definir o ato de contar uma história em vários capítulos seriados (o famoso “encher linguiça”) ao invés de resumir tudo em um filme. Mas nem os filmes originais desses serviços estão valendo mais a pena. Não significa que não haja mais séries e filmes bons, mas a Netflix contribuiu pra banalizar bastante isso. Algumas séries simplesmente não precisariam existir, podia muito bem ser um filme!

Mês passado assinei Netflix só pra assistir uns filmes clássicos, a série Dark (que não entendi nada) e rever umas séries que fazem eu me sentir confortável, como Gilmore Girls. Aproveitei e passei o olho pelo catálogo só pra constatar que nada mudou: dezenas de novas séries originais ruins e filmes meia-boca.

Saudades dos tempos das vídeo locadoras, no qual os filmes pareciam ser feitos realmente pra impactar, chocar, ensinar e divertir. Hoje em dia com o streaming sinto que tudo se tornou uma grande perda de tempo e de dinheiro pra mim.

Por enquanto vou aproveitar a minha assinatura anual da Amazon Prime (que por sinal não vou renovar ano que vem) e rever um grande clássico: Arquivo X. Uma das poucas séries que se salvam por lá.

Deixe um comentário