Por que eu não compro mais Bitcoin?

Vou tentar ser sucinta aqui.

Um pequeno contexto: conheci o Bitcoin em 2011 através do Dâniel Fraga quando comecei a estudar sobre libertarianismo e anarcocapitalismo. Na época achei muito interessante uma moeda digital e toda a tecnologia envolvida na criação dela, era barata e não me custava testar.

Em 2015 comecei a fazer trades do tipo CFD (Contract for Differences) com Bitcoin, consegui excelentes resultados e estava muito animada com o potencial geral das criptomoedas. Então continuei comprando.

Com a popularidade e alvoroço causados pela mídia que levou o mundo inteiro a falar sobre bitcoins e consequentemente a comprar bitcoins, os preços chegaram em 2017 ao conhecido topo parabólico de US$ 20 mil (R$ 70 mil com o dólar da época). Mas junto a tudo isso houve também enormes desgastes com FOMO (pessoas comprando sem ter a menor ideia do que estavam fazendo, apenas pra não ficarem de fora), tokens ICO, pirâmides e golpes levando centenas ou talvez até milhares de pessoas ao prejuízo. Vendi próximo ao topo de 2017. Sim, alfacei. Comecei a me desapontar com tudo o que eu vi acontecendo.

Então após esse contexto e experiências que tive, cheguei à conclusão que só valeu a pena comprar bitcoins entre 2011 e 2015, quando ainda havia certa esperança de que realmente se tornaria uma moeda respeitada.

Sinceramente não acho mais que o Bitcoin esteja em boas mãos, provavelmente vai atingir os R$ 70 mil em breve e talvez até supere esse topo, mas com a única premissa de elevar os lucros das baleias (e das piabas corajosas que pegam o vácuo) às custas do FOMO e garantindo mais lucros depois no retorno (aquela velha conhecida correção de 100% da alta).

Foi válido o período em que acreditei no Bitcoin, tive ganhos e experiências importantes que levarei pra vida toda, inclusive em outros campos do mercado financeiro. Mas atualmente não me vejo mais especulando criptoativos. Não posso mais participar de um mercado em que não acredito mais. Assim como não sou libertária nem anarcocapitalista, apenas absorvi o melhor dos dois mundos em complemento ao que já acredito. Faz parte do amadurecimento ver o mundo como ele é e entender que as regras do jogo da vida valem pra todos.

(Não me tornei milionária mas vivo feliz e confortável com o suficiente! :D)

Deixe um comentário